Adicionado por em 2014-11-17

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

por Celso Machado.

Pode parecer um paradoxo, mas tenho uma simpatia especial por pessoas que, mesmo tendo seus defeitos que, por vezes, não são poucos, fazem o bem. Gente que adota, apoia ou promove iniciativas que ajudam outros. Explico as razões pelas quais as reverencio: porque elas desmistificam uma questão que é muito comentada e aceita: que todo aquele que faz o bem é santo, abnegado ou poderoso. Ou esteja perto disso.

Para mim, elas são exemplo de que toda pessoa pode fazer algo de bom para seu semelhante. Que gestos de bondade, de caridade, de solidariedade não são exclusivos de pessoas extraordinárias, mas sim de qualquer ser humano. Basta que tenha sentimento, que goste de gente, que seja capaz de compartilhar.

O mais é mera desculpa de quem dedica seu tempo e atenção não em promover, mas em criticar. Acho importante conceituar que o bem não é só a caridade material, espiritual, é também a gentileza dos pequenos gestos. No trato diário com todo tipo pessoa, em qualquer ambiente e hora. É o cuidado nas conversas para não magoar desnecessariamente. Para não difamar, nem diminuir alguém por inveja, ciúme ou antipatia.

Não vejo problema nenhum em reconhecer mérito e virtudes mesmo naqueles com quem não nos damos bem. Costumo dizer que aqueles com quem não gosto de conviver, que felizmente são poucos, não chamo para frequentar minha casa, nem para compartilhar momentos de lazer nos fins de semana. Mas não deixo de reconhecer seus valores, mesmo tendo dificuldade de relacionar com eles. Nos meus rachas de futebol, não deixo de fazer jogadas com aqueles que acho chatos.

Uma coisa é simpatia, outra respeito. É prudente ter discernimento para separá-las. Por isso todo aquele que tem cuidado com os outros, no meu entendimento está praticando uma forma muito válida de fazer o bem. Mais uma colocação: vivemos num mundo tão carente de atenção que um simples gesto de cortesia é capaz de provocar reações de agradecimento e até mesmo de emoção. Um sorriso, um comentário elogioso ou bem-humorado, um gesto de carinho, um agradecimento sincero são formas igualmente válidas de fazer o bem.

Por outro lado, indelicadezas, grosserias, puxadas de tapete, trairagens e estupidez fazem o contrário. Também comentários desnecessários, intrigas criam mágoas, rancores que fazem muito mal. Mal tanto para os outros como para quem os promove. E ainda, muitas vezes, para quem não tem nada com isso e que acaba envolvido. Outra dica manjada, mas sempre válida: andar com gente do bem e frequentar bons ambientes também ajuda…

Quem pensa em fazer o bem, já começa fazendo o bem para si, porque fica em paz com sua consciência. E fica em paz, inclusive, para ser mais leve no trato consigo. Aceitar e entender quando seus gestos não são compreendidos ou não alcançaram o efeito desejado.

Não é difícil fazer o bem. Isso é absolutamente humano. É apenas uma questão de atitude diante de tantas situações que vivemos. Porque fazer o bem, por mais óbvio que pareça, é também não fazer nem promover o mal.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe um Comentário