Adicionado por em 2016-05-14

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

001avc3b3s-3Por Celso Machado

Um casal de amigos, desses muito especiais, que são pais maravilhosos, companheiros que fazem tudo para nos agradar. Cidadãos colaborativos, atuantes, pessoas verdadeiramente do bem estão vivendo uma experiência que deve ser maravilhosa: serem avós.

Explico dois motivos pelos quais utilizo a expressão “deve ser”. Primeiro porque meus avós eram portugueses e não cheguei a conhecê-los. Para ser preciso minha avó paterna cheguei a ver quando veio ao Brasil. Mas foi aquela convivência de olhar, não de conviver. Ainda criança mesmo assim não cheguei a sentar no seu colo, nem ganhei um beijo, sequer o afeto.

As referências de avós que tive na minha infância foram de dois casais também de origem lusitana, d. Maria e o sr. Alexandrino Garcia, e d. Rosália e Sr. Eduardo de Oliveira. Foram marcantes e de saudosas lembranças.

O segundo motivo é que ainda não tive o privilégio de ser avô, portanto me falta autoridade para expressar essa experiência.

Mesmo assim me permito imaginar como deve estar sendo o momento que esse casal amigo está vivendo.

Pensar que estão mais bobos do que normalmente o são, é muito óbvio. Explicando que a expressão “bobo” aqui se refere aquelas pessoas que transbordam sentimentos de afeto e encanto. Que manifestam seu carinho em gestos e atitudes.

Religiosos, certamente estão se sentindo tocados pela sequência da vida que estão proporcionando. Por se verem rejuvenescidos nos filhos dos seus filhos.

Como isto está acontecendo ainda num momento muito especial de suas vidas, o encanto da beleza desse fato ganha proporções muito particulares.

Que bonita é a vida, que traz tanta ternura, esperança, inspiração por intermédio de uma singela “criaturinha”. Que ali, sem saber nem entender nada, tem tanto significado e motivação.

Em momentos assim, lembro de um amigo avô que quando lhe perguntei como era viver essa experiência me respondeu que era indescritível. Que netos eram filhos com açúcar. Que para ele o certo era ser avô primeiro para ser pai depois. Pois aí a educação dos filhos seria com mais sabedoria, maturidade, equilíbrio e ternura.

Nunca esqueci disso, sabedoria de avô é mesmo coisa para se guardar para sempre.

O que dizer para esse casal tão querido que está sendo abençoado na estreia como avós? Acredito que dentre tantas coisas boas que lhes desejamos, vamos escolher uma: que continuem sendo felizes, exemplos para todos nós e muito especialmente avós com açúcar.

Publicada originalmente no Jornal Correio de Uberlândia, em 14 de maio de 2016

 

 

 

 

 

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe um Comentário