Adicionado por em 2015-03-23

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

BU000976-382x300por Celso Machado

Se tem algo que marca minha vida, nos seus diferentes aspectos, é a admiração respeitosa por quem sabe fazer. E faz bem feito. Ainda que seja muitas vezes classificado como uma pessoa criativa, aprendi a diferenciar ideia de realização. E a dar maior valor aos que conseguem fazer do que aos que se dedicam a pensar.

E sem nenhum demérito aos professores acadêmicos, reverenciar os mestres práticos. Aqueles que ensinam sem formalidades, que não ministram provas, nem dão notas em atividades, mas transmitem conhecimentos com um poder extraordinário de qualificar seus aprendizes. Que sabem tudo que sabem, porque aprenderam na prática e por isso transmitem seus conhecimentos não sob a didática da retórica, mas da vivência.

Como são importantes para fazerem seguidores. Para darem continuidade ao diferencial de suas habilidades. Fico pensando em quem trabalha com o Nilo no seu açougue sempre movimentado. Com uma clientela fiel e crescente. Só se for teimoso demais, relapso ao extremo ou totalmente desligado para não se tornar um ótimo açougueiro.

Quem passa a fazer parte da equipe do Adicionaldo, tenho certeza nunca mais vai usar um martelo como nós, sempre correndo o risco de entortar um prego, rachar uma madeira ou pior, amassar o dedo. Em pouco tempo terá se tornado um carpinteiro valorizado desses para quem nunca falta serviço. Basta ficar atento, observar cada detalhe e não ter preguiça em aprender.

Quantos garçons e maitres não estão por aí, graças ao que aprenderam no convívio com um Lauro, um Eliseu, um Teodomiro? Ou levando bronca e sendo enquadrados por um Navarro, Totonho, Hélio, nos bons tempos do Garibalds, da Kabana, do Vila Verde?

Quando encontro o Sabiá no Barolo fico imaginando que ele está até hoje firme trabalhando lá, não só por sua habilidade, conhecimento e gentileza reconhecidos, como certamente pelo que ensina, orienta e inspira aqueles que ingressam no quadro desse restaurante. Todo aquele que trabalha com a Helena nas feiras, muito provavelmente vai ser um pasteleiro de primeira. Esparramar uma massa até ficar lisinha, preparar o recheio com os melhores ingredientes e ajustar o fogo até o óleo ficar no ponto ideal para fritar um pastel sem encharquar ou queimar.

O mesmo com quem participar de um projeto com o Flávio Arciole. Seja ele de música, teatro, ou decoração. Se não sair um artista ou um ótimo profissional nessa área, no mínimo vai aprender a admirar bons espetáculos. Quando fui diretor de esportes no Praia, lá pelos anos 70, cansei de ver meninos que recolhiam as bolas nas partidas de tênis, se transformarem em bons jogadores e mais tarde, excelentes professores.

E por aí afora. A lista de mestres práticos de Uberlândia que admiro é imensa. Nos mais diferentes segmentos felizes daqueles que tem oportunidade de serem formados por mestres práticos. Podem não ter diploma, mas são reconhecidos, valorizados e com boas oportunidades no mercado. Porque foram formados nas melhores escolas, as faculdades da vida.

PUBLICADO NO CORREIO DE UBERLÂNDIA EM 21 DE MARÇO DE 2015.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Categoria:

Mineiridades

Deixe um Comentário